quarta-feira, 30 de maio de 2012

Mercado municipal da Figueira da Foz no parque das gaivotas

Mercado municipal no parque das gaivotas (Fig.Foz) Mercado municipal no parque das gaivotas (Fig.Foz) Mercado municipal no parque das gaivotas (Fig.Foz)

Castelo do Eng. Silva (Esplanada Silva Guimarães) a ser recuperado - Figueira da Foz (2012 Maio)

Castelo Eng. Silva (em recuperação)

Câmara da Figueira da Foz recupera emblemático Castelo Engenheiro Silva

A autarquia da Figueira da Foz vai recuperar o emblemático edifício do Castelo Engenheiro Silva, situado em frente à praia, na esplanada Silva Guimarães, no âmbito de uma empreitada cujo contrato foi hoje assinado.

O prédio de quatro pisos, doado por um particular à autarquia em 1999, encontra-se em avançado estado de degradação e integra-se – com o antigo edifício do Turismo e a chamada Casa das Conchas – no que resta do conjunto arquitetónico da antiga frente de mar de finais do século XIX.

“A Figueira tinha uma imagem muito própria, muito característica, em toda aquela zona marítima que lhe dava uma beleza especial. Nas últimas décadas foram feitas algumas construções perfeitamente desajustadas, hoje verificamos, com saudade, que a imagem da praia da Figueira foi posta em causa”, disse à agência Lusa o autarca João Ataíde.

Segundo o presidente da Câmara “o que sobra” é o Castelo Engenheiro Silva, uma construção “bastante frágil” mas com uma arquitetura “muito peculiar, fortemente arreigado à imagem da Figueira da Foz”.

Nos últimos anos o estado de degradação do edifício agudizou-se, potenciado por efeitos de intempéries, que culminaram na destruição da cobertura e do coruchéu, a torre pontiaguda em chapa de aço pintada que tombou e foi recolhida nas oficinas camarárias.

O edifício apresenta traços de arquitetura militar, visível nas ameias e torreão, mas também apontamentos renascentistas – como janelas de avental – e de neo-manuelismo “visível em alguns vãos”, lê-se na memória descritiva do projeto de requalificação.

A primeira fase dos trabalhos tem um prazo de 90 dias, orçados em cerca de 216 mil euros, financiados por verbas das contrapartidas da zona de jogo e prevê o reforço estrutural do edifício e substituição da cobertura.

“Fundamentalmente o que vamos fazer é consolidar o exterior e reconstruir todo o telhado e o coruchéu que o caracterizava, com especiais cuidados em relação às cantarias, às ameias e linhas arquitetónicas que o identificam”, frisou João Ataíde.

O autarca lembra que desde a doação do prédio ao município, há 12 anos, “que muito se tem falado na necessidade de uma intervenção” de reabilitação.

“Recuperamos a beleza do espaço e vamos de encontro ao desejo dos figueirenses que veem com desagrado a degradação em que o castelo Engenheiro Silva se encontra”, rematou.